A tecnologia deve estar a serviço do conhecimento

A evolução tecnológica exige da sociedade uma consciência crítica e novos formatos de escola, que deve ser interativa e colaborativa. Essas foram algumas reflexões provocadas pela diretora presidente e CEO do Instituto Chapada de Educação e Pesquisa (ICEP), Cybele Amado, no Painel Novas Conexões, no Fórum Agenda Bahia 2017, que aconteceu ontem (27.09.2017), de 14h as 16h, na sede do Senai – Cimatec, em Salvador.

Cybele Amado levou a plateia a refletir sobre o papel do professor, neste momento de rápidas transformações e de conectividade. Ela lembrou que o quadro negro antes era preenchido pelo professor e agora pode ser preenchido por tudo o que as crianças acessam. “Mas não vamos confundir informação com conhecimento. Acessando a internet, pelos computadores, tablets ou celulares, temos acesso à informação”.

A CEO do ICEP destacou que as novas tecnologias devem estar a serviço do conhecimento, “que requer tempo, silêncio, reflexão e interação”. De forma crítica, Cybele Amado questionou: “A tecnologia está a serviço de quê, de quem, para quê?”. Para a educadora e empreendedora social, “a escola deve explorar o potencial de comunicação do mundo digital”. Cybele abordou, ainda, o impacto da era da informação no aprendizado das novas gerações, discutindo o conceito de ‘Crianças 5D’ e a relação entre ética, inovação e conhecimento.

Marcela Sabino, diretora do Museu do Amanhã, no Rio de Janeiro, também foi palestrante e debatedora do Painel Novas Conexões. Ela destacou a inovação dos projetos do Museu, ao fazer moda usando sensores, biotecidos e impressão 3D.
O Seminário Conexões foi destaque do Fórum Agenda Bahia no turno da manhã, com as conferências do especialista em gestão, estratégia e liderança, Oscar Motomura (fundador e principal liderança do Grupo Amana-Key), e do jovem inventor argentino, Gino Tubaro.

Oscar Motomura abordou o tema Liderança Integrativa e a Viabilização do Impossível, mostrando de que forma é possível superar equações de difícil solução e integrar organizações e a própria sociedade a partir do uso criativo da tecnologia. E, na sequência das palestras matutinas, Gino Tubaro, sócio da Atomic Lab, contou como foi o processo de desenvolvimento das próteses para pessoas amputadas. Ele as criou a partir da tecnologia das impressoras 3D, barateando o custo das peças. Para atender crianças que haviam perdido as mãos, Tubaro desenvolveu próteses em formato de super-heróis.

Núbia Cristina
Analista de Comunicação – ICEP
(71) 3052-0901/ 99197-7494
Email: nubiacristina@institutochapada.org.br

2 comentários sobre “A tecnologia deve estar a serviço do conhecimento

  • Olá Núbia Cristina / Cybele Amado
    Me chamo Walker, integro uma equipe composta por Advogados e profissionais outros:
    Prestamos amparo assistencial e Jurídico gratuito á comunidades desassistidas, em Salvador e Região Metropolitana. (CJRR)
    Fito obter os conteúdos das abordagens expostas no Fórum Agenda Bahia 2017, e como podemos está interagindo com às propostas apresentadas.

    Grato,

    att

    Walker Nascimento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *